Ambição

Como até o tolo percebe que o que se diz aqui é verdadeiro, procura então se justificar imaginando extremismos anarquizantes da minha parte. Aqui há poucas sugestões saudáveis ao funcionalismo.

  • Fazer mais com menos, permitindo a redução da carga tributária, distinguindo direitos de privilégios trabalhistas conquistados via pressão política à legisladores, lutando na via contrária, contra os privilégios de sua classe e aumento injusto de salários incompatíveis à situação econômica.
  • Desistir do pacote de maldades de demandas políticas que disfarçadas de demandas ao governo por um moralismo postiço, pesa à população pagante de tributos, perguntando-se o que aconteceria se todas suas ambições fossem cumpridas, respondo: encareceria o custo de serviços e produtos, tirando o poder de compra dos mais pobres, obrigando-os a virarem seus clientes, perdendo a liberdade de escolha e ficando dependentes dos serviços do Estado que serão prestados pelas pessoas que encareceram os serviços do livre mercado em primeiro lugar.
  • Resistir à moral de mercenário, que concede total apoio ao político que paga mais e vilifica o político que remove mais e portanto dá maior poder econômico ao povo.

Nada disso possui força de se cumprir em uma nação fascista onde a ambição dos que se servem da população sob o nome de servidores é ilimitada enquanto direitos “gratuitos” são usados contra os direitos naturais do homem. Face a isso, todos esses conselhos são contingentes à necessidade da destruição desses cargos corruptos e desejados por pessoas corruptas, que estudando planfetos de esquerda aspiram à vida corsária, afinal, o sonho de trabalhar para o Estado é o sonho de não trabalhar.

Anúncios