Categoria

A categorização de classes é o sonho do “uni-vos”, quando os concorrentes naturais eliminam a concorrência entre si por um cartel sindical passam a fixar seus preços baseados no valor subjetivo da dignidade da profissão e não no valor objetivo da meritocracia que os colocaria os patrões num leilão aumentando seu valor de mercado, assim, pisando nos próprios pés passam à greves e bagunças por salários de projeção subjetiva ilimitadas, transformando uma disputa natural numa disputa política que favorece os governadores de esquerda que estão sempre à postos e ansiosos à tomar dinheiro do contribuinte ou endividá-los para agradar eleitores burocratas  que façam chantagem emocionais, sejam eles do topo ou do baixo escalão: se um rato grande come muito, ratos pequenos por serem maioria comem o mesmo tanto. A corrupção no Brasil não somente não é ilegal, como é positivada.

É questionável que se o empregador só paga o salário mínimo se forçado por lei como pode ele pagar bem mais que um salário mínimo a certos empregados, a lógica do patrão-explorador seria que ele só pagasse o salário mínimo a todos, o que não ocorre em países livres. É engraçado que a maior parte das greves sindicais ocorrem por culpa do Estado e não da exploração burguesa a qual os marxistas culpam. Ao fim, o Estado não tendo um explorador, faz-se de explorador para confirmar a hipótese numa sacada genial.

Anúncios