Profissão

O americanismo ensina o valor dos contratos morais, limitando a liberdade individual de realizar contratos cujo interesse advém do pecado denunciado na antiga religião. Impotente de valores transcendentes ao homem, o imoralista liberal nada poderia denunciar da liberdade que teve Armin Meiwes diante de sua vítima, e de todos demais contratos que claramente ferem a natureza humana, feita à imagem da divindade. A profissão do mal são várias, de ladrão, assassino a traficante todos tem um postura profissional que nasce com a habitualidade, no reino terrestre chamar de profissão meramente uma prestação de serviços, que distorce a sacralidade do sexo matrimonial à Mamon é louvar aquilo e ferir aquele que habituou-se a prestar serviços a acrescentar riqueza ao gênero humano, nivelando-os no mesmo patamar, ou seja, tanto Steve Jobs e Sasha Grey contribuiram para a humanidade. Esse é o amor liberal ao capital.

A lição dos americanos é clara em apoiar-se em valores conservadores mantendo a liberdade econômica que enriquece o país, é até mister dizer que um é íntimo do outro, razão do capitalismo brasileiro sem valores ser patrocinador do ócio latino, e a crítica brota sem usar a fraquíssima linguagem da opressão, afinal, prostituta não goza?

Anúncios