Acomodar-se

O bebê chora pois não pode alcançar o leite, o brasileiro chora porque quer que o leite seja dado pelo governo. A crítica lugar-comum à acomodação dos inconscientes sociais é completamente reversa e só poderia ser colada no imaginário brasileiro, ora, são os que não estão acomodados é que estão trabalhando para subsistir-se sem ajuda do governo, os que buscam independência e liberdade são os que estão em intenso movimento desviando-se das mordidas do leão enquanto trabalham para saciar os apetites do consumidor, e os acomodados são os que, conscientes de sua condição parasitária de dependência, correm para sentar-se nos braços do governo afim de buscar alívio de sua fome, com raiva e aos gritos, quebrando tudo o que foi produzido pelo caminho, atrapalhando a vida trabalhadora e a geração de riqueza, para num golpe transferir ainda mais peso tributário aos inconscientes. Imagino que nenhum consciente brasileiro queira ver pessoas mais conscientes, do contrário, a carroça fica sem burros.

É claro que há inúmeros impeditivos taxativos à capacidade de consumo e dificuldades criadas ao governo para pessoas de pouca produtividade, fixando o movimento dos pobres à riqueza, e faria bem ter consciência disso, mas a consciência brasileira quer acomodar-se sobre o montante do erário, não agitar-se na criatividade da busca e procura, da criação de riqueza, antes quer ser servida da comida do leão como rei enquanto harpas tocam e servos abanam, só lhes resta o ditado: o socialismo acaba quando termina o dinheiro dos outros.

Anúncios