Ébrio

O sucesso do combate à pedofilia no brasil se deve ao trabalho conjunto da sociedade com a polícia, que observa como crime a libido comum entre violador e o onanismo posterior, a violação ao corpo e à imagem e dignidade, e destaca o fracasso no combate ao tráfico de drogas, que espelha os mesmos princípios: O usuário final financia a atividade criminosa, expandindo-a, o dinheiro do traficante vêm do pai do universitário, e ninguém consegue perceber que o vício é capaz de fazer um jovem se tornar aliado de um sequestrador e homicida. A discriminação ao usuário da maconha foi com sucesso revertida, porque seu ludismo escapista é marca também de uma sociedade carnavalesca. Entretanto, ainda está em estágio menos pior que a discriminação da pornografia, onde pornstars são consideradas divas progressistas, dignas até de alguma imitação.

O caso americano conta que a proibição em demasia revela uma tirania, o álcool não somente serve para o bêbado, mas como alimento, e a punição ao segundo é uma injustiça, contudo a prudência não deixou essa liberdade ir mais longe, os códigos de trânsito sugerem que o bêbado traz consequências, e até mesmo o penal reconhece o álcool do covarde. O álcool é livre, contudo a ebriedade continua imoral. Tal é o reconhecimento que buscam expandir as proibições e discriminações ao fumante, mas por sorte, não encontram santos que o condenem.

Anúncios