Promessa

Não é impossível distinguir o homossexual do infértil.

De Samuel e Isaac se justifica o casamento entre estéreis, da possibilidade de erro médico confundindo o casal e da união em uma só carne, pois a mulher foi feita do homem, e não o homem foi feito do homem, e a mulher da mulher. Por essa união consequentemente, após algum período, mesmo que todo casal perca a capacidade de concretizar herdeiros, não constitui no fim do casamento, somente desconstituído pela morte, vencida pelo novo corpo angelical ressurecto no novo reino.

Também há de se considerar ao órfão a necessidade de uma família perfeita, que discrimina famílias viciadas incluindo aí, os unidos de mesmo sexo. Não se pode ceder à chantagens emocionais que apelam à corrupção do coração e a paixão pelo pecado da luxúria transvestido de amor livre, considerando que o parentesco homossexual é tão nocivo quanto o parentesco de pais incapazes.

Anúncios