Perfeição

Quando Jesus apontou a viúva dando de livre vontade seu último dinheiro como exemplo de perfeita caridade ele deu o significado de algo tão vilipendiado: A caridade, humilde, não veio salvar o mundo da miséria e visitar favelas para fotografias dando um pouco daquilo que possuem em abundância, não é também, um ato coercivo coletivo e impessoal, como o esquerdista acredita que tributo deve se tornar a forma perfeita de caridade, mas como aquele que aceita o fruto do furto não é menos imoral que o que confiscou e distribuiu, tomando parte para si no processo, isso releva-se em nome do assalto com boa finalidade.

O libertário pode reclamar que assim como a distribuição de riqueza, a caridade não agrega valor, mas há caridade também em conceder um emprego, a caridade é multiforme. O esquerdista reclama que a caridade é boa demais para ser apenas individual, e força toda a coletividade a servir seu planejamento, desconhecendo que a mente que compreende generalidades humanas não é boa em localizar problemas locais, quanto mais pessoais. Mas de tudo, é fácil ser como Robin Hood e distribuir a riqueza que não possui, difícil, é ser como a viúva e doar apenas, de livre vontade, o que possui.  

Anúncios