Dispêndio

É útil tomar notas de pequenos eventos administrativos da justiça e do MEC no dispêndio da fortuna pública, que noticiam que do direito à educação e justiça se deriva um auxílio econômico à indivíduos que estão acima dos desconfortos do livre mercado, observe que um dos alvos é alguém que ganha mais de 20 mil ao mês, e que acima disso, precisam de cursos para aprenderem a usar a novidade. Isso demonstra não só aquilo a qual a defesa do “direito” escondia em seu discurso, que é o lucro garantido pelo Estado em troca da vaidade, mas completa inaptidão em face ao presente que damos à crianças de 5 anos, que em 5 minutos com ele em mãos já estão completamente íntimos. Não é injusto declarar aos que se gorjeiam de seu posto, que seus frutos revelam que não são só parasitas, mas também idiotas.

Anúncios